Existe uma área da psicologia chamada Psicologia Ambiental. Ela estuda a relação do ser humano com os ambientes. Esse estudo sempre atrelado com a engenharia, design e planejamento urbano. Algumas construções ganham estrutura, formato, cor e dimensões baseadas nessas pesquisas.

O ambiente com maior potencial restaurador é a natureza, contudo também é possível criar condições restauradoras em ambientes urbanos.

Eu tenho refletido a respeito de como levar a Ecopsicologia pra dentro do consultório, já que não é tão viável levar todos os clientes pra natureza. E me deparei com esse conceito e fui estudá-lo. Rachel Kaplan, Stephen Kaplan e Roger Ulrich são alguns nomes de destaque nessa área.

O ambiente pode ser considerado restaurador quando ele proporciona a percepção subjetiva de bem estar afetivo, cognitivo, comportamental e fisiológico.

Podemos investir no design de interiores para integrar algumas das características apontadas como restauradoras. Que proporcionam alívio do stress, relaxamento e acolhimento.

Segundo esta abordagem podemos ter:

Ampla abertura para o exterior, garantindo ar fresco e iluminação natural;
Contato visual e físico com jardins e elementos naturais;
Ambientes espaçosos, delimitados e protegidos;
Aparência familiar e acolhedora;
Cores suaves e mobílias bem dispostas;
Quadros de arte, murais e ilustrações figurativas de paisagens naturais;
Estrutura confortável para descanso como sofá e poltrona.

E assim é possível ter a presença de estímulos que nos conecte à natureza. É uma forma de proporcionar bem estar através da presença de elementos naturais.
As pessoas percebem que se sentem bem e passam a prestar atenção no que há de diferente nesse espaço. Assim reconhecem os benefícios do contato com a natureza e passam a valorizá-lo mais.

Desta maneira adentramos sutilmente no campo da ecopsicologia e tornamos possível a inclusão da natureza na ambientação dos consultórios de psicologia clínica nos grandes centros urbanos.

Para além disso, outras práticas podem ser associadas à abordagem psicológica e contribuir para o tratamento do cliente, contudo isso fica a critério do profissional e da disponibilidade e interesse do cliente.